Facebook
Twitter
Soundcloud
You Tube
  Siga-nos!
Ícone E-mail
Ícone E-mail
Ícone Telefones Úteis
Ícone Ouvidoria
Ícone Webmail
Sábado, 16 de Fevereiro de 2019
Imagem de Acerto
Brazão de Eldorado
Prefeitura da Estância Turística de Eldorado
Brazão de Eldorado

Nota – FEBRE AMARELA no município de Eldorado

Compartilhe

Nota – FEBRE AMARELA no município de Eldorado

A Prefeitura Municipal de Eldorado através do Departamento Municipal de Saúde (Vigilância Epidemiológica) vem através desta prestar esclarecimentos referente a ‘Febre Amarela’ no município.

Nas últimas semanas vêm ocorrendo relato do encontro de vários macacos mortos em diversos pontos do município de Eldorado – até o momento apenas 04 mortes do animal foi notificadas oficialmente pela Vigilância Sanitária - ainda não foi possível realizar coleta de material para diagnóstico  devido ao adiantado estado de decomposição dos animais, portanto não é possível afirmar que os animais estavam contaminados com Febre Amarela.

 

Óbito e suspeitas

 

O óbito de um trabalhador rural ‘Nome: D.M’ – 60 anos, do Quilombo Sapatú, zona rural do município, que ainda não tinha sido vacinado, foi registrado com características da infecção pela doença, porém ainda aguarda-se o laudo da investigação  do Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para confirmação da causa morte.

Uma suspeita no início do ano, de um óbito de um homem de 58 anos, foi descartada após laudo de investigação.

Outras seis pessoas foram encaminhadas para o Hospital Regional Dr. Leopoldo Bevilacqua (HRLB), de Pariquera–Açu, por estarem com suspeita da doença. Dentre elas, uma mulher  ‘nome: D.S.A’ de 34 anos, do bairro de Itapeúna, que permanece internada no HRLB, teve a confirmação da doença, na tarde desta terça-feira (15).

Diante da suspeita e do caso confirmado, o Departamento Municipal de Saúde e Vigilância sanitária e epidemiológica, estão orientando  a todos os munícipes ainda não imunizados que procurem os postos de saúde mais próximos para tomar a vacina contra febre amarela.

 

ATUALIZAÇÃO: 16/01/2019 - 11h50min.

 

  • 01(um) caso de óbito suspeito - DESCARTADO PARA FEBRE AMARELA;
  • 03 (três) casos de óbitos suspeitos - AGUARDANDO LAUDO DE INVESTIGAÇÃO;
  • 01(um) caso suspeito - CONFIRMADO PARA FEBRE AMARELA (em internação);
  • 03 (três) casos suspeitos -  AGUARDANDO LAUDO DE INVESTIGAÇÃO (em internação).

 

 

Vacinação

 

Ações de vacinação já vêm sendo realizadas em áreas de risco, especialmente nas comunidades quilombolas, para alcançar pessoas ainda não imunizadas. Cerca de 1.000 doses já foram aplicadas de ontem(14) para hoje(15).

No decorrer desta semana, vêm ocorrendo também a captura de mosquitos (pesquisa entomológica) por técnicos da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), para análise da presença do vírus nos vetores.

As doses da vacina estão disponíveis nas unidades de saúde. A vacina é indicada para pessoas a partir dos nove meses de idade. Os pacientes portadores de HIV positivo e transplantados devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina. Não há indicação de imunização para gestantes, mulheres amamentando crianças com até seis meses de idade e imunodeprimidos como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide).

Devido os relatos de macacos mortos e os casos suspeitos de febre amarela, o Departamento Municipal de Saúde, intensificou os trabalhos de prevenção e orientação.

Em 2018, o município de Eldorado aplicou aproximadamente 09 mil doses da vacina contra a Febre Amarela. Mesmo fora do período de Campanha de vacinação o município continuou oferecendo vacinas a população.

 

Reunião regional

 

 Uma reunião em Registro, na manhã desta terça-feira (15), reuniu a diretora de imunização da Secretaria de Saúde do Estado, Helena Sato, e representantes da Vigilância Epidemiológica dos 15 municípios, sendo eles: Eldorado, Jacupiranga, Barra do Turvo, Juquiá, Cajati, Cananeia, Barra do Turvo, Iguape, Ilha Comprida, Iporanga, Itariri, Cajati, Miracatu, Pariquera-Açú, Pedro de Toledo, Sete Barras e Registro, para discutir ações de prevenção, já que a cobertura vacinal atingiu apenas 66% da população em todo o Vale do Ribeira.

 

 

Não matem os macacos! Eles são aliados da saúde no combate à febre amarela

"É importante que a gente mantenha esses animais sadios e dentro do seu ambiente natural, porque a detecção da morte de um macaco, que potencialmente está doente de Febre Amarela, pode nos dar tempo para adotar medidas de controle para evitar doença em seres humanos”, defende o gerente de vigilância das Doenças de Transmissão Vetorial. 

A febre amarela é uma doença que se mantém no ambiente, em um ciclo silvestre, e é transmitida por mosquitos. O macaco é importante, pois serve como indicador da presença do vírus em determinada região. É o que também defende o pesquisador e presidente da Sociedade Brasileira de Primatologia (SBP), Danilo Simonini Teixeira. “Esses animais estão sendo mortos por conta de medo da população humana em relação à transmissão do vírus, e isso não ocorre. Se você mata os animais, vai haver um prejuízo, pois a vigilância não vai ser feita por conta do óbito daquele animal por uma pessoa”.

 

macaco-febreamarela

 

Além disso, matar animais é crime ambiental previsto no artigo 29 da Lei n° 9.605/98. “Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida”, pode gerar pena de seis meses a um ano de detenção, mais multa. No bioma da Mata Atlântica, onde incide a doença, encontram-se primatas ameaçados de extinção, entre eles, o Bugio, o Macaco-prego-de-crista, além do Muriqui do sul e do norte.

“É importante que a população tenha plena consciência de que os macacos não são responsáveis pela existência do vírus e nem por sua transmissão a humanos. Eles precisam ser protegidos. A morte desses animais traz enorme desequilíbrio ambiental, que não pode ser agravado pela ação do homem”, ressalta o diretor de Conservação e Manejo de Espécies do Ministério do Meio Ambiente, Ugo Vercillo. O vírus da febre amarela silvestre é transmitido por mosquitos (gêneros Haemagogus e Sabethes).

 

Infográfico Macacos1

 

Caso a população encontre macacos mortos ou doentes, deve informar o mais rapidamente o serviço de saúde do município. Uma vez identificados os eventos, o serviço de saúde avalia se ainda há a possibilidade de coleta de amostra para laboratório, se além desse animal que foi encontrado existem outros, se as populações de primatas da região ainda são visíveis e estão integrados, se foi uma morte isolada, ou se de fato é uma ocorrência que atingiu o maior número de primatas. Então o cidadão que estiver, por exemplo, em uma atividade de lazer ou trabalho na mata, e encontre o indício ou um macaco morto, deve avisar o mais rápido possível o serviço de saúde que vai tomar as medidas necessárias de vigilância de controle. (https://www.bio.fiocruz.br/index.php/nao-matem-os-macacos-eles-sao-aliados-da-saude-no-combate-a-febre-amarela)

 

 

 

Terça-feira, 15 de janeiro de 2019.

 

Não disponível!
Tag:

Deixe um Comentário

Tamanho da fonte: Imprimir:

DESTAQUES:

RECEBA:

Cadastre seu e-mail e receba nossas notícias, informações e novidades.

FIQUE DE OLHO:

Logo Twitter
Sobre nós
A Estância Turística de Eldorado é o 4º maior município paulista, com mais 70% da sua área coberta por Mata Atlântica intacta, em excelente estado de conservação.

O município fez parte do primeiro ciclo do ouro do país, no início do século XVII, ainda com o antigo nome de Xiririca (palavra indígena que significa águas correntes). Tornou-se município em 10 de março de 1842. Continue lendo.
Receba
Cadastre seu e-mail e receba nossas notícias, informações e novidades.

Contato por e-mail

Contatos
 Praça Nossa Senhora da Guia, 348
Centro - CEP 11960-000 Eldorado/SP
 Telefone: (13) 3871-6100
© 2019 Eldorado. Todos os direitos reservados.  |  Política de Privacidade
Desenvolvimento: Inside Internet